sábado, 17 de outubro de 2009

Infecção; l o v e


Contaminou cada célula do meu ser com teu amor anti – solidão.
E ninguém, sabendo da intensidade deste sentimento que sentimos um pelo outro, nunca ousou tentar me curar. Embora eu não admitisse a ninguém eu sabia que quando alguém era contaminado da forma que eu fui, pelo anjo que me inflamou de paixão, seria impossível uma cura absoluta, seus resíduos para sempre ficariam, eu sei que jamais esqueceria os batimentos acelerados que sinto ao te ver, o gosto da saliva que fica na minha língua depois de sentir a tua e o arrepio que sua pele me causava ao me tocar. Enfim eu me dei conta de que existem coisas que nenhum remédio é capaz de curar, nem mesmo o tempo. Peguei em tuas mãos, fechei meus olhos e te beijei, e resolvi me internar ao teu lado por pelo menos o resto dos dias que a vida ainda me reserva.

Um comentário:

Junior disse...

xD

muito lindo o poema!
vc ta apaixonada mesmo hein?

=**

Minha lista de blogs