sábado, 29 de maio de 2010

cinza ardente.


A noite estava lá fora, as estrelas brilhavam tão lindamente e a lua tão distante, mas iluminando á noite com tanta eficiência e eu parada sem admirar tudo isso verdadeiramente, pois havia algo que me encantava mais ali do lado de dentro do bar, mais do que todas essas belezas que estavam distantes, noite, lua, estrelas. E aquele algo era você, que percebi depois de pedir uma bebida ao garçom e assim que lhe vi, foi como se eu estivesse vendo algum tipo de ser que eu nunca havia imaginado que existisse, tão diferente e misterioso que conseguiu prender a minha atenção tão involuntariamente, era indiscutivelmente encantador. E eu fiquei parada sentada naquela mesa do canto, o único movimento era o de que levantar o copo e engolir a tequila que eu havia comprado, completamente ansiosa em busca de uma forma ou oportunidade de que você me notasse. Tu ali, tão perto do meu corpo na mesa ao lado, mas nem sequer olhava pra mim, mas não me senti menor por isso, pois você parecia não notar ninguém, senti que era como se você possuísse uma solidão que não pretendia ser quebrada, e fui sentindo um desespero, pois você já era tão meu pensamento único naquele momento, mas eu te sentia mais distante de mim do que a lua, à noite e as estrelas, mesmo sentado praticamente ao meu lado. E eu te observando, fui percebendo teu olhar distante, sua barba malfeita e teu cigarro no canto da boca, que tragavas tão lentamente, revelando que não possuía nenhum tipo de ansiedade em encontrar ou se encantar com alguém e nem desconfiava que estivesse sendo observado com tanto encantamento. Eu desesperada te admirava, mas você não me olhou uma vez sequer, a única coisa que prendia sua atenção era a fumaça que saia da sua boca. Entendi que você se encontrava tão distante de todos daquele lugar, aliás, acho que distante do mundo inteiro, se encontrava em algum lugar que ninguém jamais conseguiria te resgatar, estava tão completamente desesperado na sua solidão, desesperança e silêncio que criou um escudo com o mundo ao seu redor.

2 comentários:

Erllen Nadine disse...

"Completamente ansiosa em busca de uma forma ou oportunidade de que você me notasse."

Amei o texto, é lindo!

Thaís. disse...

Que texto lindo. Realmente, às vezes estamos tão acostumados com a solidão que parece que isso nunca vai mudar. Talvez eu esteja assim também. O único mal de estar assim é deixar passar coisas como o cara do texto deixou passar. Enfim, beijos. @pequenatiss

Minha lista de blogs