quarta-feira, 4 de novembro de 2009

O sentimento que morre a cada dia.



Andei pensando na vida, pensando em você mais precisamente, já que a minha vida ultimamente tem sido em sua função, sobrevivendo de teus sorrisos, quais são raros e breves. Essa situação cansa, estou exausta de ter que segurar a barra que por sinal está muito pesada para minha alma frágil. Eu só queria que você me telefonasse neste exato momento pra que eu aproveitasse meu momento de coragem e com uma voz bastante séria, lhe diria ‘- Olha cara, o amor é uma planta, tem que cuidar, tem que alimentar, se você se esquecer de cuidar, ela fica murcha, e corre riscos de morrer sem deixar nenhuma muda. O amor é assim igual uma planta, talvez tragicamente igual, pois como a planta a pessoa amada só fica radiante se está bem tratada. Eu só quero te dizer, só quero que você entenda que o AMOR também morre, tal sublime sentimento se torna estúpido e simplesmente falece. Não esquece, cara, não esquece.’ Talvez você ficaria em estado de choque e diria que vai cuidar melhor do nosso amor, ou talvez você pensasse consigo mesmo que pouco importa nosso amor, pois na verdade ele nem existe em você , e sem dizer nada a respeito mudaria de assunto me ignorando completamente. Mas não vou ficar com suposições, nem pensando no que eu poderia lhe dizer se você telefonasse agora, pois é tarde sei que você não vai telefonar, e mesmo se telefonasse eu totalmente estúpida iria calar meus pensamentos e falar contigo fingindo que está tudo bem, como sempre faço. É madrugada e você está longe.

3 comentários:

Jéssica disse...

QUE PERFEITO,QUE PERFEITO *____________*

Marcelo Novaes disse...

Uma vida apoiada num único foco ou pilar (mesmo que seja ele o "Amor" romântico, sobretudo este...), dança.







Beijos,









Marcelo.

Renata Mulinelli disse...

Pois disse tudo, o que eu tive chance e calei, o que pensei e não encontrei as palavras.
Perfeito!

Minha lista de blogs